AD (728x90)

Escaras ou Úlceras




As úlceras de pressão ou escaras, como são conhecidas popularmente, são complicações em pacientes hospitalizados, internados em casas de repouso, asilos ou mesmo em ambiente domiciliar. Elas ocorrem, não somente no Brasil, mas, em outros países, até mesmo os mais desenvolvidos. Atingem principalmente indivíduos imobilizados no leito e/ou acamados ou com restrição de movimentos devido a alguma doença ou seqüela.
 
As úlceras de pressão desenvolvem-se quando o tecido (pele) é comprimido entre a proeminência óssea e a superfície externa (cama, colchão) por um longo período de tempo. Acontece quando a pessoa permanece muito tempo acamada. Com o objetivo de facilitar a prevenção e o tratamento, as úlceras de pressão  são divididas em 4 estágios:

ESTÁGIO 1 - A pele fica muito avermelhada, mas intacta.
ESTÁGIO 2 - A pele fica lesada em forma de bolha, abrasão ou cratera.
ESTÁGIO 3 - A úlcera ultrapassou a pele, mas ainda não acometeu o músculo.
ESTÁGIO 4 - A úlcera ultrapassou outros tecidos, chegando aos músculos, tendões ou ossos.

COMO EVITAR AS ÚLCERAS DE PRESSÃO?
Evitar as úlceras de pressão é um grande desafio para as equipes de saúde. É comum associarem a presença das úlceras como conseqüência negativa da assis­tência de enfermagem. Entretanto esta questão é discutida mundialmente, pois, o aparecimento das úlceras envolve outros fatores como:
- declínio das condições físicas do paciente;
- falência das condições nutricionais, ou seja, deficiência de vitaminas, proteínas, e água nos tecidos;
- idade, quando a pele torna-se mais frágil e propensa a desenvolver lesões;
- indivíduos muito emagrecidos ou muito obesos; entre outros.
 
Utilizamos os seguintes materiais para o conforto e segurança do paciente:
- colchão caixa de ovo: espuma com grumos que diminuem o contato e a pressão da pele com acama;
- colchão pneumático movido a ar, que faz movimentos, aliviando a pressão da pele com acama;
- coxins de espuma, coxins de gel e bóias de ar: são materiais utilizados nas proeminências ósseas que ficam em contato com a cama;
- avaliação diária da pele durante o banho do paciente a fim de identificar o aparecimento de alguma lesão desde o início;
- mudança da posição do paciente com intervalos curtos a fim de aliviar a pressão nas áreas de atrito da pele com a cama e colchão;
- higiene para manter a pele limpa e seca, livre de possíveis descamações.

COMO TRATAR AS ÚLCERAS DE PRESSÃO?
No caso de falHarim todas as medidas preventivas utili­zadas, tanto no atendimento hospitalar como no domiciliar, e a úlcera de pressão atingir o paciente, os tratamentos são os mais diversos e sempre devem ser feitos levando-se em consideração o paciente como um todo. Devem ser avaliados os fatores internos e externos que levaram ao aparecimento das lesões e trabalhar em conjunto com todos os profissionais que atuam para a saúde do paciente (enfermeiros, auxiliares de enfermagem, médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicólogos).
 
As medidas para evitar as úlceras de pressão devem ser intensificadas nas instituições de saúde, pois quando elas ocorrem, além de trazer sofrimento aos pacientes, aumentam os dias de internação e, como conseqüência, aumentam os custos da hospitalização. No ambiente domiciliar causam transtornos e gastos à família do paciente.

Escrito por

Um blog que discutirá sobre um assunto que encontra-se esquecido por grande parte da sociedade, "DEFICIENCIA"

0 comentários:

Postar um comentário

 

© 2011/2017 Tetraplégicos Online. Todos os direitos Reservados. Siga-nos Nas redes Sociais